Futurismo
Ninsaúde

 

#Dados


Redefinindo os cuidados de saúde com a tecnologia Blockchain

A tecnologia Blockchain facilitará a colaboração e as transações seguras de dados em todo o ecossistema de assistência médica, promovendo diagnósticos mais precisos e atendimento eficaz a custos reduzidos, ao mesmo tempo em que permite um gerenciamento aprimorado do ciclo de receitas.

Pode o Blockchain – tecnologia disruptiva que fez incursões rápidas no setor de serviços financeiros – ser a cura para os problemas de dados do setor de saúde? Sim, dizem gurus de dados e adotantes iniciais da tecnologia. Enquanto o volume de dados de pacientes continua a crescer a cada ano, as instituições de saúde são deixadas à mercê da necessidade de interoperabilidade e segurança de dados eficazes. Eles precisam de soluções robustas para atravessar o abismo dos dados, pois o que está em jogo não são apenas as preocupações de rentabilidade e custo, mas a vida dos pacientes.

Atualmente, a maioria dos dados relacionados a pacientes é armazenada em hubs centralizados, como sistemas eletrônicos de registro de saúde (EHR), data warehouses ou repositórios pertencentes às trocas de informações de saúde (HIE). Os silos de dados resultantes e a falta de interoperabilidade dificultam a colaboração de dados em todo o ecossistema de assistência médica. Isso teria um impacto significativo na capacidade das organizações de saúde de fornecer diagnósticos precisos, tratamentos eficazes e atendimento aprimorado a custos ideais. Mas graças ao Blockchain, podemos superar esse desafio, gerando maior interoperabilidade e compartilhamento seguro de dados entre plataformas.

Decodificando a tecnologia

Blockchain é um ledger público distribuído e descentralizado baseado em criptografia, apoiado por protocolos P2P (peer-to-peer). A tecnologia que sustenta a moeda digital Bitcoin é caracterizada pela descentralização do controle, alta disponibilidade e forte integridade dos dados por meio de criptografia de ponta a ponta.

O que o torna atrativo é que ele permite que todas as entidades autorizadas em uma rede – que poderiam ser hospitais, pagadores e pacientes – acessem informações verificadas usando uma chave ou código privado ou universal. Ele também cria um rastro preciso de transações, que no contexto da assistência médica podem pertencer a históricos médicos e pagamentos de contas. Com o Blockchain, podemos, assim, construir um ecossistema seguro e aberto, no qual todas as partes interessadas possam tomar decisões rápidas e inteligentes, baseadas em dados. É fácil ver como a tecnologia pode ajudar a simplificar transações comerciais e de dados clínicos, desde a adjudicação de solicitações até o monitoramento de eventos clínicos.

O Blockchain pode ser um meio eficaz para transformar o setor de saúde,  que já se encontra maduro para tal inovação. Ele permite que você reduza o custo de auditorias e conformidade, reduza esses riscos, assegure uma maior transparência nas atividades de sinistros, crie trilhas de auditoria à prova de violação e melhore a segurança dos dados do paciente. Tudo isso nos ajuda a oferecer experiências superiores aos clientes, ao mesmo tempo em que abre as portas para uma maior lucratividade.

Fonte: Gurmeet Chahal para HCL