Futurismo
Ninsaúde

 

#Dispositivos


A ascensão da assistência médica conectada com a IoT

Durante décadas, tem havido uma conversa contínua sobre maneiras pelas quais podemos repensar a saúde para controlar os custos e melhorar os resultados. Para esse fim, a Internet das Coisas (IoT) pode ser exatamente o que os médicos necessitam. As soluções de saúde da IoT podem ajudar a reduzir os custos médicos, melhorar a qualidade, tornar os cuidados de saúde mais pessoais e acessíveis para os pacientes.

De acordo com o Becker’s Hospital Review , 70% dos executivos do hospital em todo o mundo atribuem o crescimento ao acompanhamento das tendências tecnológicas. No entanto, se o setor de saúde é para melhor atender os pacientes e oferecer uma verdadeira experiência de saúde conectada, as empresas precisam fazer mais do que se adaptar às tendências crescentes. Eles também precisam descobrir como implementar com êxito as soluções de IoT em todos os níveis de sua organização.

Dispositivos e aplicativos conectados estão alimentando uma explosão nos dados médicos, trazendo maior precisão para diagnósticos de pacientes, cuidados médicos e monitoramento contínuo. Até 2020, os dados médicos serão duplicados a cada 73 dias; cada pessoa criará mais de 1 milhão de gigabytes de dados pessoais de saúde; e 646 milhões de dispositivos IoT serão usados ​​por provedores, pagadores e consumidores.

Em vez de simplesmente gerar todos esses dados e enviá-los para a nuvem, os dispositivos de ponta da IoT podem processá-los e analisá-los para obter insights, para que as equipes de atendimento possam agir rapidamente. Isso requer um novo tipo de aplicativo de software mais inteligente que pode não apenas reunir os dados, mas também usar painéis e análises distribuídas para facilitar a compreensão e a ação dos dados. Dessa forma, os funcionários da área de saúde podem acessar e gerenciar com segurança conteúdo vital de qualquer lugar.

O sucesso dos dispositivos digitais de saúde e dos dispositivos conectados também será determinado por quão bem os provedores estarão equipados para usar os dados do paciente coletados pelos dispositivos. Organizações de assistência médica podem integrar dados confidenciais de pacientes a outras fontes, como dispositivos de monitoramento de condicionamento físico e de saúde, sensores e implantes para criar perfis ricos e em constante evolução. Ou podem ainda usar modelos preditivos para criar planos de tratamento personalizados e empregar ferramentas inteligentes de negócios (BI) para analisar e visualizar as necessidades da população.

No final, é simples. Se as organizações de saúde forem capazes de prever com sucesso as considerações e os cuidados com a saúde futuros dos pacientes, elas exigirão acesso de alta qualidade aos dados nas suas instalações ou fora delas, juntamente com uma capacidade de uso aprimorada e a capacidade de analisar dados. E com 97% dos pacientes expressando expectativas elevadas para seus cuidados de saúde – entre os quais a expectativa de que todas as instituições de saúde tenham acesso ao seu histórico médico completo – a necessidade de cuidados de saúde conectados com a IoT nunca foi tão clara.

Fonte: Justin Slade para Microsoft Health